Acordamos em 1964

 

Algo que háa muito tempo já vem sendo apontado, o autoritarismo de Estado brasileiro, teve no último final de semana (com o fim da copa da FIFA) seu momento de maior avanço nos últimos tempos. Com 19 presos políticos no sábado (12/07) e cerceamento dos direitos de se manifestar e de ir e vir (lembrem-se, garantidos pela constituição) durante ato no domingo (13/07). O Estado pôs acima dos direitos básicos da população a realização de um evento que visa o lucro de diversas entidades privadas e que deixa como legado um abismo ainda maior entre a cidade e aqueles que nela vivem.

Acordamos em 64, mas não porque militares tenham tomado o poder, e sim porque o Estado, através dos seus aparelhos de repressão continuam ao lado (e em favor) do Capital.

E a cada dia há mais prisões arbitrárias, e a cada direito cerceado, e a cada grito que calamos ficamos mais perto de um Estado de exceção absoluto.

Ato pela libertação de todos os presos políticos.

Ato pela libertação de todos os presos políticos.

Se manifestar não é crime! Por isso, hoje (15/07) vamos todos ao ato exigindo a libertação de todos os presos políticos, fim de toda perseguição e anistia de todos os processos.

Quando : 15/07
Onde: Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (Av. Presidente Antônio Carlos – Centro)
Horário : 17h

 

 

Anúncios

Sobre Pollyana Labre

Graduanda em história na Universidade Federal Fluminense.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s