Legalizar o aborto pela vida das mulheres: links úteis

"As ricas abortam, as pobre morrem. Hipócritas!"

“As ricas abortam, as pobre morrem. Hipócritas!”

Ontem, dia 28 de setembro, foi  dia latino-americano de luta pela descriminalização e legalização do aborto. O coletivo do blog Capitalismo em Desencanto aproveita a data para demarcar a importância fundamental dessa questão dentre as pautas da esquerda.

A luta pela legalização do aborto envolve uma série de pontos sobre os quais precisamos ser irredutíveis: a laicidade do Estado, a autonomia das mulheres em relação ao seu próprio corpo, as desigualdades de classe e de gênero etc. Mas, principalmente, lutar para legalizar o aborto é defender a vida das mulheres. Pessoas que lutam pela criminalização do procedimento, auto-intituladas “pró-vida”, estão na verdade defendendo uma proibição que resulta na morte de inúmeras mulheres; elas impõem sua posição pessoal sobre o corpo de cada mulher, negando-lhes subjetividade, autonomia e, com frequência, a própria sobrevivência. É preciso, sim, ser pró-vida: pró-vida das mulheres.

Ilustração de Carol Rossetti.

Ilustração de Carol Rossetti.

Com o avanço do conservadorismo e do fundamentalismo religioso, é triste mas necessária a percepção de que, na luta pela vida das mulheres, nós estamos perdendo. Diante disso, precisamos estar instrumentalizados para o debate em torno da questão do aborto. A mobilização virtual do 28 de setembro foi fundamental nesse sentido. Trazemos hoje alguns links interessantes de material produzido para esta data, além de outras indicações, pedindo que novas sugestões sejam feitas no espaço dos comentários.

28 dias pela vida das mulheres: feito especialmente para o #28set de 2014, o blog reúne textos, banners, documentos, tabelas estatísticas, vídeos, enfim, uma diversidade de materiais midiáticos sobre a legalização do aborto.

O que é aborto?: texto de Érika Pellegrino.

#Aborto Legal: conheça seus direitos: Vídeo informativo sobre os casos em que a interrupção da gravidez é prevista por lei no Brasil.

5 mitos sobre aborto: texto de Thayz Athaíde.

O aborto dos outros: documentário que acompanhou mulheres que estavam prestes a interromper a gravidez, muitas delas autorizadas por lei, outras que recorreram ao aborto clandestino.

Clínicas clandestinas de aborto e técnicas populares levam a consequências fatais: matéria do Extra, de tipo raro na grande mídia, relacionando mortes de mulheres com o fato de o aborto ser criminalizado.

Fim do Silêncio: Documentário produzido pela Fundação Oswaldo Cruz que reúne depoimentos de mulheres que abortaram.

Clandestinas: Reportagem fundamental feita pela Agência Pública sobre criminalização do aborto e violação dos direitos da mulher.

Saiba porque o aborto deve ser permitido no Brasil: vídeo produzido pela Universidade Livre Feminista, ligada ao CFEMEA (Centro Feminista de Estudos e Acessoria).

Ilustração de Thais Almeida Rocha

Ilustração de Thais Almeida Rocha

Sobre Bárbara Araújo

professora de história, feminista, anticapitalista, capoeirista e flamenguista.
Esse post foi publicado em Gênero, Política e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s